Resenha “A química que há entre nós”, de Krystal Sutherland

A química que há entre nós Book Cover A química que há entre nós
Krystal Sutherland
YA
Globo Alt
2017
Físico
272

Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.
Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e
viver esse sentimento que não sabe definir.

Nem sempre nosso primeiro amor é como sonhamos, você lembra do seu primeiro amor? Ele pode ser perfeito, pode não dar certo ou pode simplesmente ser um tremendo desastre, mas não deixa de ser bela a sensação de descobrir o que é amar.

Enredo

 

Henry está indo pro seu último ano da escola, sonha com um ano perfeito para poder ir para faculdade de uma forma ”perfeita”, ele não é daqueles alunos que se mete em encrenca, que é assunto das fofocas e nem nada parecido. Seus pais são bem humorados, chegam a brincar com esse seu lado certinho.

O casamento de seus pais pra ele é como se fosse um exemplo de amor perfeito e é o que ele sonha para sua vida, quem sabe um dia.

Grace Town é nova aluna em sua turma, se pensam que é aquela menina linda que ele bateu o olho e se apaixonou, se enganou. Ela é totalmente estranha, aparentemente parece nem gostar de banho, seus cabelos são bagunçados e sua roupa suja, sem contar que é totalmente anti social. Grace usa uma bengala e manca, o que faz Henry pensar que provavelmente ela é doente.

Henry quer ser escritor, sabe se expressar muito melhor escrevendo do que em falando (EUUUUUUU). Ele queria muito poder assumir o jornal da escola em seu último ano e, para sua surpresa, não somente ele como também Grace são chamados para comandar o jornal. Tirando seu lado estranha, parece que Grace também tem o dom da escrita, assim como Henry.

Henry tem dois melhores amigos, Murray e Lola. Murray tem um jeito bem engraçado que tira muitas risadas e Lola talvez seja a culpada da atual vida amorosa de Henry (inexistente). Tudo porque ele teve seu primeiro beijo com ela e logo depois ela se assumiu homossexual, isso na escola logo caiu como zuação.

Quando Henry conta para seus amigos do convite e que Grace reagiu de uma maneira estranha desde que chegou na escola, eles resolvem pesquisar a vida da menina, procurando no face acham uma Grace totalmente diferente da atual, mas era ela. Henry não sabe se foi o mistério ou se a tentativa de desvendar o mesmo se aproximando de Grace que fez ele se apaixonar por ela. No começo não pareceu uma boa ideia, afinal ela é totalmente fechada e talvez um pouco estranha, mas quem sabe ele não tivesse enganado?

E assim Henry se apaixona pela primeira vez.

 

Narrativa

A narrativa é na visão do nosso escritor, nesse caso de Henry. Eu sempre prefiro narrativa em primeira pessoa e nesse caso não foi diferente, a forma de como Henry narrava o que acontecia com ele parecia mesmo que era ele escrevendo o livro ou conversando comigo.

 

Destaque

O que pra mim mais se destacou eu não posso contar, foi o final!! Mas umas coisas acho que posso falar.

O livro fala do primeiro amor, mas não aquela  coisa linda e melosa que vivem perfeitamente todo seu romance. Mostra o lado sofredor do primeiro amor, aquela dor que a maioria sentiu e sem ser clichê. Sério, o enredo que tem em relação a esse amor é muito bom e bem diferente.

O final pode não ser o que você espera, mas não quer dizer que, dependendo do ponto de vista, é um final feliz.

 

Minha opinião

 

QUERO LER DE NOVO!!

VOCÊ PRECISA LER ELE AGORA!!

TODOS JÁ FORAM HENRY.

VEM CÁ QUE TE DOU UM ABRAÇO.

QUERO POR ESSE LIVRO E A AUTORA EM UM POTINHO AZUL E BRANCO.

Ok, acho que meu surto passou. Acho.

Quando comecei a ler, logo imaginei que seria um lindo romance adolescente com alguns draminhas e depois tudo seriam flores. Me enganei um pouco e isso me deixou bastante feliz.

O livro não retrata somente o primeiro amor ou o desenvolver dos sentimentos, ele retrata algumas dificuldades adolescentes e outras até mais maduras como morte e superação. Sim, temos morte no livro e isso você só saberá lendo.

O fato do enredo do livro ter um desenvolver fora dos padrões que costumamos seguir me fez ficar presa ao livro, devorar ele e chorar no final querendo novamente. Henry é aquele típico adolescente que quase implora por amor e no caso do livro, pelo amor de Grace.

Aos poucos os mistérios da vida de Grace vão se revelando, fazendo Henry se apaixonar mais por ela e me prendendo ainda mais o livro. Você vai percebendo que ela não é totalmente esquisita, somente ainda não aprendeu a superar certas coisas e o amor de Henry ajuda e atrapalha ao mesmo tempo, coisas complicadas da adolescência.

Henry é apaixonante, é realmente um menino apaixonado, que demonstra sua preocupação por Grace e tenta ajudá-la em tudo, mesmo que isso acabe magoando ele. Às vezes chego a perder a paciência com algumas atitudes dele, mas o que posso fazer se ele é somente um adolescente aprendendo a viver?

Além de ser um livro adolescente, pra mim também teve a diferença de ser narrado um amor inocente na visão masculina, dele abrir mão das suas coisas pela amada, totalmente diferente do que costuma ser. Geralmente é a mulher a fazer essas coisas. É um romance tão fofo que dá vontade de apertar as bochechas imaginárias do livro.

Você lembra da sua época da adolescência? Se não tiver a mesma idade da Terra igual o Érico provavelmente vai lembrar, apesar que ele tem memória de elefante e lembra dos primeiros dinossauros.  O livro me fez relembrar alguns fatos dessa época, mesmo não tendo tanto tempo, e também imaginar como eu reagiria a certas coisas, principalmente aos problemas de Grace, já que não me considero uma pessoa forte e naquela época menos ainda. Mas caso você ainda seja um adolescente, ainda também é aconselhável ler, pode até te ajudar a entender alguns pontos referente a superação, e isso que acho bem legal, quando o livro além de ser bom e te fazer companhia pode trazer algum ensinamento.

E antes que eu me esqueça, além da história principal de Grace e Henry, tiveam histórias secundárias que fizeram totalmente sentido em serem contadas, principalmente dos pais de Henry e de sua irmã. Todas elas mostraram o motivo de como Henry é e alguns dos novos pensamentos dele.

Um amor real, com suas dores, seus sofrimentos mas com todas suas verdades.

Eu ri, chorei, xinguei mas mais que tudo: amei esse livro, sua simplicidade adolescente me conquistou! Completamente apaixonada.

 

Thami Cheble

Gosto muito de ler! Tenho costume de me colocar no lugar do personagem pra entender melhor ainda o que ele sente, e se me ver rindo igual louca quando estou lendo não ligue, isso é normal mas, se me ver chorando nem pergunte! Não interrompa minha leitura.

Você Pode Gostar

  • kkkkkkkkkkkkkkkkkk – O comentário do Érico foi o melhor!!! Amei a resenha! Livro lindo, com capa linda!

    • Thamirys

      Obrigadaaaaaaaaaaa

  • Bia

    Esse livro entrou pra listinha a partir do momento em que li: jornalista heheheh. O que o amor pela futura profissão não faz, não é mesmo? Mas estou apaixonadíssima pelo que você contou e já quero ler! Parabéns pela resenha, Thami <3

    • Thamirys

      É o sonho dele e logo lembrei de vc
      Leia, vale muito apena é um amor esse livro.
      Obrigada

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: