Resenha “Meus Dias com Você”, de Clare Swatman

Meus dias com você Book Cover Meus dias com você
Clare Swatman
Fiction
Editora Arqueiro
30 de June de 2017
288

Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta? Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho. Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira? Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade. A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

Sabe aqueles livros que te fazem refletir? Fazem você pensar se realmente vale a pena não viver um momento feliz por uma simples bobeira? Esse é um livro assim.
Demonstre mais, ame mais, aproveite mais. As coisas podem não sair exatamente como deseja, mas quantos menos arrependimentos por motivos bobos é bem melhor.

Enredo:

Zoe está dois meses sofrendo pela morte de seu marido, ela sente muito a falta dele e ao mesmo tempo muita raiva por todos os momentos que antecederam a morte de Ed. Os dois viviam brigando e não aproveitavam os momentos juntos, pareciam não mais ter aquele amor que fizeram se casar e desejar construir uma família. Tudo isso por tentativas frustradas de ter um filho, estresse de tratamentos e a decepção no final acabou afastando o casal no momento em que mais precisavam um do outro.
Zoe resolve ir para o jardim que seu esposo tanto amava, não sabe o que faz  quando está em seu limite de insanidade, acaba caindo e batendo a cabeça e tudo apaga. Com esse acidente, tudo muda. Zoe acorda no passado, exatamente no dia que conheceu Ed. No início, pensa ser um sonho, mas resolve aproveitar mesmo assim, para reviver pelo menos mais um dia com seu amado. No outro dia quando acorda, Zoe repara que continua no passado, não um dia após o que viveu ontem, mas ainda está no passado e isso começa a se repetir e são sempre datas marcantes na vida dos dois. Perdida e imaginando que ganhou uma nova chance, sua decisão é tentar mudar o futuro, aproveitar melhor os momentos e tentar impedir a morte de Ed.

“o que estou vivendo é tão estranho, tão inexplicável e também tão gigantesco”

Com a volta ao seu passado, conhecemos mais um pouco de como o Ed é. Um rapaz muito sonhador e que gosta das coisas simples da vida. Cheios de medo devido seu passado com seu pai, acaba superando juntamente com Zoe. O relacionamento dos dois é uma constante evolução e conhecimento entre eles, os dois evoluem muito juntos até o dia que ambos realmente decidem juntos ter um filho e é aí que os problemas começam.

Zoe repara que não foi somente com Ed que deixou de aproveitar a vida devido aos problemas e tenta reconquistar todos.
E você, se pudesse voltar ao passado o que faria? Gostaria de ter essa chance? O que será que Zoe conseguiu mudar? Será que valeu a pena viver novamente até alguns momentos frustrantes?

Narrativa:

O livro contém dois tipos de narrativa, na terceira e primeira pessoa. Particularmente não curto quando fazem isso porque acabo me confundindo, porém a autora soube separar bem as narrativas deixando uma para o passado que é enquanto Zoe voltou e outra para o presente.
Antes que pensem, o livro não fica alternando entre passado e presente.
Quando Zoe volta ao passado, tudo é narrado em sua visão, nos faz entender suas angústias daquele momento e a dor das tentativas de mudar o futuro sempre lembrando de ter visto Ed no caixão. Por mais que seja até mesmo doloroso muitos momentos vividos e algumas lágrimas ameaçarem sair é uma leitura leve e rápida.

Destaque:

EU NÃO SEI!!
Eu tenho uma péssima mania de que quando me agarro a um livro escrever um testamento no destaque, porém dessa vez complicou sério. A obra em si é fechada e complicado dar destaque a uma única parte, porém acho que ele nos deixa uma lição muito importante.

Não deixe um “Eu te amo” para depois, nunca sabemos o que pode acontecer. Será que realmente vale a pena perder um dia alegre por algo bobo? Será que naquele momento em vez de brigarmos não poderíamos pegar e até mesmo “chamar a atenção” de uma forma diferente que não magoe? Será que aquele momento que pensamos “posso ligar depois” realmente precisa ficar para depois? Temos que tomar muito cuidado para não nos arrependermos do depois. Podemos não mudar algumas coisas, mas pelo menos não nos arrependemos.

Ai se eu pudesse voltar ao passado… Eu teria tempo de fazer o último pedido da minha vó… O” deixar para depois” pode doer para o resto da vida.

E toda essa lição ela deixou sendo o primeiro livro dela pelo que pesquisei, mostrando todo potencial que a autora tem.

Minha opinião:

 

Sabe quando você pega um livro e lê a sinopse tendo certeza que vai desidratar de chorar? Foi bem assim ao pegar “Meus dias com você”, talvez eu seja um pouco masoquista, já que quis tanto ele.
Eu amei o livro, realmente não tenho o que reclamar dele. A autora podia ter sido mais ousada? Até poderia, porém o não ousar dela em pontos do livro fizeram muito sentido e tem a explicação do porquê.

O livro comenta em relação a arrependimento e explica o que a maioria de nós sonhamos, voltar e mudar algo para tentar ser mais feliz ou não se arrepender por ter feito ou deixado de fazer algo. Ele teve o poder de mudar algumas atitudes minhas que são dadas no livro como exemplo, uma coisa boba que fez o casal brigar feio acabou virando uma brincadeira.
Gostei do fato da Zoe não deixar tudo perfeito como queria, afinal a vida é realmente feita de altos e baixos por mais que nos esforcemos.
Um livro que você sorri, chora (eu particularmente sou uma chorona), reflete e quem sabe, aprende.
Se eu mudaria algo? Talvez o final, mas a lição que teve nele não faria sentido.
Em alguns momentos do passado de Zoe ela acaba aprendendo coisas que não reparou a primeira vez que viveu, mas se parasse para refletir ia perceber, e isso é mais uma ênfase de que devemos refletir nas nossas vidas e separar tudo o que é importante e por pior que algo possa parecer, não abandonarmos quem amamos.
Que venham mais livros como esse.

 

Thami Cheble

Gosto muito de ler!
Tenho costume de me colocar no lugar do personagem pra entender melhor ainda o que ele sente, e se me ver rindo igual louca quando estou lendo não ligue, isso é normal mas, se me ver chorando nem pergunte! Não interrompa minha leitura.

Você Pode Gostar

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: