Resenha “Inversos”, de Carol Dias.

Inversos Book Cover Inversos
Carol Dias
Romance/Chick lit
Ler Editorial
2017
Físico
214

Como assistente pessoal de Carter Manning, Bruna sabia exatamente o que esperar do cantor: música, mulheres e um pouco de (muita) arrogância. Seria preciso uma interferência do universo para que ele se mostrasse alguém decente.

E não é que o universo resolveu agir?!

As pequenas, Sam e Soph, serão a prova final de Carter, para mostrar que mesmo o cara mais idiota, possui algo além de uma camada de egocentrismo

Da mesma autora de “Clichê”, já resenhado por aqui, Inverso se trata da história de Bruna Campello e Carter Manning, este que é um velho conhecido de quem leu Clichê primeiramente. Bruna tem o trabalho mais difícil do mundo: é assistente pessoal de Carter, um astro da música, mais um perfeito canalha mulherengo, que vive dando em cima de todas as mulheres que vê pela frente. Mas quando meninas pequenas são deixadas na porto do cantor famoso, Bruna percebe que até o cara mais incorrigível do mundo pode tomar um jeito na vida

 

 

Enredo

Inversos se passa logo após os eventos de Clichê, mas as histórias não possuem uma relação direta entre si. Nós acompanhamos a vida de Bruna Campello, que ganha a vida como assistente de Carter Manning, um astro da música, mas de personalidade difícil e bastante mulherengo. Apesar de lidar com cara que é um tremendo babaca a maior parte do tempo, Bruna ama o seu emprego, pois adora participar ativamente da carreira de um cantor. Organizar shows, entrevistas e lidar com os problemas do palco é exatamente a sua praia.

Mas tudo muda quando meninas, Sam e Soph, aparecem em frente a mansão de Carter, se dizendo filhas dele. Por conhecer bem o jeito de seu chefe com as mulheres, Bruna já imagina que isso iria acontecer um dia, mas o que realmente a surpreende é que Carter aceita a cuidar das meninas como suas filhas mesmo, sem esperar fazer exames de DNA. Mas é claro que ele não saber nada de como cuidar de crianças, sobrando para Bruna mais uma vez tirá-lo dessa enrascada. Mas será que o surgimento de duas filhas fará o cara mais idiota do mundo largar a irresponsabilidade e o egocentrismo e se tornar um bom pai?

Narrativa

A maior parte do livro é narrado em primeira pessoa por Bruna, mas em alguns capítulos também temos o ponto de vista do Carter narrado por ele próprio.

 

Destaque

Inversos pertence ao universo apresentado em Clichê, mas as duas histórias não continuações diretas, portanto, quem não leu o primeiro livro não precisa se preocupar, pode começar por Inversos tranquilamente.

Minha Opinião

Faz um bom tempo desde que li Clichê, mas não precisei refrescar muito a minha memória para entender Inversos. Como dito acima, Clichê e Inversos não possuem uma ligação direta, então não é preciso lê-los na ordem, necessariamente.

Em Inversos, somos apresentados a Bruna Campello, assiste pessoal de cantores. Bruna é uma brasileira que vive nos EUA desde de pequena com sua mãe e seus dois irmãos menores, que foram abandonados pelo pai pouco tempo depois da família se instalar na Terra do Tio Sam. Isso foi traumatizante para Bruna, que desde cedo aprendeu a ser autossuficiente e ser desconfiada com os homens. Por ironia do destino, ela vai trabalhar pela M Music, como assistente pessoal de um dos piores homens da face da terra: Carter Manning.

Carter é um velho conhecido de quem já leu Clichê, apesar dele não aparecer muito na história. Porém, do pouco que apareceu, já desperta o desagrado do leitor: ele é um dos personagens que transformam a vida da protagonista de Clichê, Marina Duarte, um inferno. Nesse livro, só temos uma impressão superficial desse personagem: um cara mimado, grosseiro, egocêntrico e um tremendo mulherengo, capaz de transar com uma funcionária do irmão dentro do próprio escritório dele. Enfim, um completo babaca.

Em Inversos, temos mais aprofundamento desse personagem, já que ele é protagonista masculino da história. Carter realmente é um homem bastante difícil de aturar, sendo grosseiro e inconsequente a maior parte do tempo. Ele é um cantor famoso, muito comparado ao Justin Timberlake, no qual é agenciado pela M Music, parte da M Corp, empresa chefiada por seu irmão mais velho Killiam Manning, o protagonista de Clichê. Apesar da personalidade difícil, ele é um cantor talentoso que dá tudo de si nos palcos. Mas por trás deles…

Bruna é sua assistente pessoal os dois vivem em pé de guerra, sendo completamente opostos um do outro: enquanto ela é responsável é uma profissional competente no que faz, que trata bem todos a sua volta, Carter é um irresponsável, que quando não está trabalhando, está em baladas ou levando várias mulheres para um motel. E sobra para a pobre Bruna limpar a bagunça de seu chefe. As coisas se complicam quando surgem Sam e Soph, duas meninas que dizem ser filhas de Carter. Elas foram deixadas ali pela própria mãe, que deixou uma carta dizendo que não pode largar seu emprego para cuidar das meninas, deixando com Carter, no qual ela afirma com toda certeza que ele é o pai das crianças, a responsabilidade de criar as duas meninas.

Acontece que Carter não é nem de longe um cara responsável. Apesar de surpreender a todos dizendo que vai cuidar das meninas mesmo sem o exame de DNA, contrariando os conselhos de seus assessores, o músico não tem a menor ideia de como cuidar das crianças, jogando a responsabilidade mais uma vez sobre Bruna. Ela se vê obrigada a se mudar para mansão de Carter, para cuidar das meninas e também para que não surja mais um escândalo na carreira de seu patrão.

Assim como em Clichê, a trama de Inversos é previsível, repleta de clichês. É a típica história da mocinha responsável com um chefe canalha que embora não admitam, sentem uma profunda atração pelo outro. Carter sempre que pode, dá em cima descaradamente de Bruna, que apesar de ter vontade de corresponder, sabe que se relacionar com um cara assim é uma completa furada. E Bruna já aguenta muita coisa, flagrando constantemente Carter com uma mulher na cama em vários momentos do livro. Ou seja, é o romance em que a protagonista tenta dar um jeito no cara incorrigível. E quem acompanha filmes de comédia romântica, sabe como a história termina.

Mas nem que por isso desmereça a história. Como no seu primeiro livro, Carol Dias é bem sincera em Inversos: apesar de já sabermos aonde a história vai dar, não deixa de ter uma narrativa chata de ler. Pelo contrário. A trama de Inversos é leve de ler, combinado com uma fonte que torna a leitura bastante agradável e mesmo já prevendo o final, prende do começo ao fim. Afinal, quem não gosta de finais felizes? Quem não gosta de ver um cara mala finalmente tomando jeito na vida? É bom romance para quem quer dar tempinho durante a tarde e um prato cheio para quem ama romances água com açúcar.

Tainá de Oliveira

Sou Tainá de Oliveira, carioca da gema e tipicamente ariana! Rata de livraria, meu vício em livros começou já no berço. Jornalista, sonho em escrever livros tão bons quanto os que leio e que possam encantar crianças e adormecer adultos!

Você Pode Gostar

  • Bia

    Amo a carol e adorei a resenha!

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: