Resenha “Alif – O Invisível”, de G. Willow Wilson

ALIF - O INVISIVEL Book Cover ALIF - O INVISIVEL
G WILLOW WILSON, RYTA VINAGRE,
Juvenile Fiction
Editora Rocco
9 de April de 2015
352

Alif vive num mundo velado. O rosto das mulheres é coberto por um véu. Suas ações como hacker, um segredo. Seu relacionamento com Intisar só permite encontros escondidos na calada da noite. Mesmo seu nome não passa de um apelido. Num contexto em que nada é o que parece, o jovem acaba envolvido em uma trama que envolve vigilância eletrônica e misticismo. Morador da 'Cidade', localizada perto do Golfo Pérsico, Alif escapou por pouco do aparelho repressivo que prendeu e torturou blogueiros e dissidentes da Revolução egípcia. Sua sorte é posta em questão, no entanto, depois que o relacionamento com Intisar acaba, pois a jovem nobre é obrigada a se casar com um marido escolhido pelo pai. Alif utiliza, então, seus conhecimentos em informática para criar um programa capaz de identificá-la só pelo padrão de digitação, na esperança de impedir de ser encontrado on-line por Intisar. A criação, porém, excede suas próprias expectativas e atrai a atenção do mais poderoso censor do governo, conhecido como 'A Mão de Deus', interessado em criar o aparelho de vigilância estatal mais sofisticado do mundo. Para complicar a situação, Alif toma posse de um misterioso livro - Alf Yeom - Os mil e um dias, relíquia que contém o segredo para desenvolver um novo nível de tecnologia da informação. Em comum, o programa desenvolvido por Alif e o livro borram as fronteiras entre dois mundos - o visível e o invisível, a realidade e a ficção. Para impedir que o Alf Yeom caia em mãos erradas e para salvar a própria vida, Alif conta com a ajuda de uma vizinha apaixonada, um djin e uma americana convertida ao Islã.

Diferente de tudo que eu já tenha lido, Alif, o Invisível é um livro que mistura a atualidade como guerras cibernéticas e ataques terroristas, com as tradições de um povo muito antigo. Embarque você também nesta trama onde o místico e o real se fundem.

Vamos à resenha:

ENREDO:

Alif, é um hacker dotado de um ceticismo fora do comum e com uma visão muito particular sobre o mundo que o cerca. Ele vive entre as tradições Árabes, Islâmicas e Egípcias, mas tenta se manter neutro com relação as tradições religiosas de sua família e amigos.

Seu grande amor, uma mulher de família rica, sendo assim de uma casta superior a dele, o dispensa, mesmo depois de juras de amor eterno, mas tudo por conta de um casamento arranjado pelos pais de sua pretendente. Ao se despedirem, ela pede que nunca mais o veja, para que não sofra. Ele então resolve atender seu pedido e cria um sistema capaz de ocultar de todos os meios digitais, a sua presença para ela.

Mal sabe Alif que esse sistema está preste a se tornar a maior arma que “A Mão”, um segmento do governo criado para erradicar os cyber terroristas, terá para usar contra seu criador. Mas tudo fica ainda pior quando Alif recebe como presente de sua ex-amante um livro tão antigo quanto a história de seu povo e mesmo assim tão atual quanto a internet. Este livro é alvo de forças místicas e malignas que tentam a todo custo ter seus conhecimentos.

Uma aventura que envolve muito da mitologia árabe, incluindo muitos elementos das “Mil e Uma Noites”.

NARRATIVA:

Vivemos as emoções deste livro através dos olhos de Alif e seu torpor diante dos fatos que lhe chocam a todo momento, são sentido por nós da mesma forma. Em vários momentos a narrativa me levou a discutir com o protagonista por seu ceticismo diante de situações que pediam uma interpretação mais ampla de tudo que ele estava vivendo.

Talvez por estarmos lendo sobre alguém que não acredita em suas próprias tradições o livro se torne bem mais crível. Com um final imprevisível, Alif, o Invisível, se tornou um dos livros mais diferentes que eu tenha lido nos últimos tempos.

Uma trama que vai muito além de manifestações onlines e histórias infantis de ninar. Um livro que te fará refletir sobre o que nós conhecemos das poucas histórias que chegam ao ocidente sobre gênios e espíritos efêmeros do deserto.

Autora G Willow Wilson

DESTAQUES:

Por conta das culturas envolvidas serem de pouco conhecimento comum, considero este um livro com alguns trechos bem difíceis de se ler, mas como destaque quero ressaltar a versatilidade do autor em mesclar o novo com o velho com tamanha facilidade. A pesquisa necessária para escrever tal obra foi muito grande e é perceptível o quão grande é o conhecimento e domínio das tradições destes povos para que estas linhas pudessem ser escritas.

 

MINHA OPNIÃO:

Um livro que mexeu comigo por ser inicialmente algo totalmente diferente do que ele se mostrou no final. Alif, o Invisível é o tipo de livro que você vai ter uma certa dificuldade para se acostumar com os termos, mas que depois que a verdadeira trama se apresenta, você não conseguirá largar até desvendar a última página. A utilização da plataforma Ubook facilitou e muito a finalização, pois ao ouvir, eu não fui desmotivado pelos termos de difícil compreensão. Mais um motivo pelo qual indico tal plataforma.

Uma boa leitura a todos e que Sherazade embale os seus sonhos.

 

Érico Robert

Sou apaixonado por Livros, RPG e Video Games. Minha Família é tudo pra mim, minha alma gêmea (Ara), foi quem me ensinou a gostar de ler e sou eternamente grato a ela. Sou dedicada as minhas filhas, mas adoro os poucos momento em que posso desfrutar de paz e sossego. Diversão é reunir a família e os amigos e cozinhar para eles, enquanto conversamos, assistimos alguns filmes ou batalhamos no RPG!

Você Pode Gostar

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: