Diário de Viagem: Liberdade + Show do Asian Kung-Fu Generation

Digamos que o último fim de semana (14 e 15 de Novembro) foi um daqueles memoráveis. Isso porque eu realizei um sonho que eu tinha a mais ou menos uns 8 anos de ir ao show da banda japonesa Asian Kung-Fu Generation e de quebra ainda conheci o bairro da Liberdade em São Paulo. Tudo ao lado do meu maridão que compartilhava dos mesmos sonhos. Nossos corações nerd otaku power quase não aguentaram com tantas emoções e novas sensações juntas! E por isso decidi dividir nossas aventuras com vocês.

Bem, pra começar devo dizer que esta foi minha primeira viagem. Eu, no auge dos meus 22 anos, por uma série de infortúnios da vida nunca havia viajado antes. Mas o ponto não é esse. O ponto é que eu estava muito empolgada, tão empolgada que pode ser que eu relate coisas que não pareçam tão ~mágicas~ assim mas que para mim foram muito relevantes. De qualquer forma espero que gostem e que, quem sabe, sirva para te inspirar a visitar a Liberdade e a conhecer a banda Ajikan. 🙂

Sábado: Chegada em São Paulo + Liberdade

Por volta de 12h chegamos no hotel. Só deixamos nossas coisas e partimos ansiosos para a Liberdade. Nos hospedamos em Pinheiros, para ficar perto do local do show, e usamos o metrô para chegar a Liberdade. Logo que entramos no metrô, nos surpreendemos com a quantidade descendentes de japoneses que há em São Paulo. No Rio de Janeiro é muito raro encontrar um descendente então isso realmente me impressionou um pouco. E olha que nós só estávamos no metrô indo para a Liberdade. Agora imagine meus olhos brilhando quando eu cheguei na Liberdade. Para uma amante da cultura nipônica, como eu, é como visitar um pedacinho do Japão sem sair do Brasil.

Pra quem não sabe, a Liberdade é um bairro da área central de São Paulo que abriga a maior colônia japonesa do mundo, fora do Japão. A imigração dos japoneses para o Brasil começou em 1908, com a chegada do navio Kasatu Maru no porto de Santos. E o início da caracterização da Liberdade como bairro típico do país oriental se deu no ano de 1912, quando os primeiros imigrantes começaram a se fixar no local. Após décadas de influência nipônica, a Liberdade se adaptou aos japoneses. Os imigrantes e seus descendentes, criaram comércios, restaurantes… tudo tipicamente japonês. Imagina que sonho?

liberdade

Nem preciso falar que fiquei louca na Liberdade, né? Queria entrar em cada loja, bar, barraquinha, birosca… Mas o que falou mais alto primeiro foi o meu estômago. Já eram pra lá de 13h e nós ainda não tínhamos almoçado. E porque não almoçar na Liberdade com tantas opções deliciosas? Decidimos então procurar um lugar para comer e andando a esmo fomos parar, meio que sem querer, na “rua dos restaurantes” e dentre tantas opções a que me chamou mais atenção foi um restaurante com sua fachada tradicional e uma plaquinha que anunciava uma das especialidades da casa: o Lamen!

O restaurante Hinodê é um restaurante muito aconchegante, com um ambiente agradável e bonito. Além de um atendimento super atencioso e paciente que nos explicou sobre os pratos e nos deu sugestões de cardápio. Apesar de eu já estar decidida desde o momento que entrei.

1

Quem vê muitos animes, filmes e programas japoneses, sabe que o lamen é um prato muito importante na culinária japonesa e eu morria de vontade de experimentar. E devo dizer que não estou nem um pouco arrependida e que tenho um novo prato favorito! Abaixo a foto do meu prato que acompanha carne de porco, ovo, broto de feijão, alga marinha e cebolinha!

2

Depois disso, fomos as compras! Como entramos em muitas lojas e mercados, confesso que não conseguiria citar todos, então abaixo vou deixar um resumo de algumas lojas que considero indispensáveis na minha próxima visita a Liberdade:

Empório Azuki: O que dizer dessa loja que mal conheço e já considero pakas? HAHAHA O empório Azuki é um dos mercados mais completos da Liberdade. Lá você encontra grande quantidade de bebidas, doces, alimentos, utilidades doméstica… Tudo (ou quase tudo) importado da terra do sol nascente! Deu pra ficar um bom tempo lá olhando as prateleiras e compras vários itens! Para uma aventureira da cozinha como eu, que adoro tentar cozinhar pratos orientais, consegui várias iguarias que irei fazer aqui em casa. 😛

Endereço: Rua Galvão Bueno, 16 – Liberdade

 

Korea Mart: Quando vi o nome da loja e o K-Pop tocando não me controlei. kkk -Q Muitas comidas coreanas legais. Tinha até kimchi em conserva e o tradicional Soju! Pra quem gosta de culinária coreana também tinha vários alimentos para serem preparados em casa. Inclusive, aquela carne fatiada maravilhosa do churrasco coreano! *-* que infelizmente eu não pude trazer porque não tinha como manter congelada até chegar no Rio e fiquei com medo de estragar. 🙁

Endereço: Rua dos Estudantes, 41 – Liberdade

 

SDB – O Segredo dos Doces: O nome já diz tudo né? Doces maravilhosos, bebidas, sorvetes… aaah, socorro gente! Quero tudo pra mim!

Endereço: Rua Galvão Bueno, 13

 

Ah, vale lembrar também que é bom ir com bastante tempo e paciência. Pois as lojas ficam bem cheias e com muitas filas aos fins de semana. Mas devo dizer que no fim vale a pena. XD

Domingo: Feira da Liberdade + Show do Asian Kung-fu Generation

No domingo, resolvemos voltar para ver algumas outras lojas que não conseguimos ver antes de ir pro show e descobrimos uma atração extra: a Feira da Liberdade!

Ela fica localizada na Praça da Liberdade, bem ao lado da estação, e tem muitas barraquinhas para se ver e comprar. A maioria são de artesanato e artigos religiosos. Além disso, você também encontra barraquinhas de comidas típicas que são bem famosas e bastante disputadas por lá. As pessoas comem em pé lá na rua mesmo (que é fechada para a feira). Nós nos contentamos com uma raspadinha e continuamos nossa aventura pelas lojas!

3

Como chegamos cedo e as ruas ainda estavam um pouco vazias, nos aventuramos pelas galerias da Liberdade. E lá descobrimos o paraíso dos otakus. São várias lojas com produtos de temática nerd entre figures, camisas, cosplays, DVDs, e muito mais. Até uma loja de cosmaker eu achei lá! Dá pra perder horas olhando cada loja. Infelizmente eu não lembro do nome das galerias, mas são várias e é bem fácil de achar. As que fui ficam na Rua Galvão Bueno.

Quando a fome apertou, decidimos ir a um restaurante que eu já estava namorando desde sábado, o Korea House. Eu morria de vontade de experimentar a culinária coreana e como eles são bem famosos pelo churrasco feito numa chapa sobre a mesa com acompanhamentos e arroz, era isso que eu queria! Com um atendimento muito atencioso (agradecimento especial para a garçonete que salvou nossa vida nos ensinando como assar a carne) e um clima bem agradável, conseguimos realizar nosso sonho e matar nossa fome de comer o churrasquinho coreano! E devo dizer que já o amo e que o desejo todos os dias. HAHAHA

coreia

Depois de encher o bucho voltamos para o hotel para nos prepararmos para a atração principal dessa viagem: o show!

A banda Asian Kung-fu Generation é uma banda de Rock Indie japonesa famosa pelas suas músicas temas de anime: Haruka Kanata (Naruto), Rewrite (FullMetal Alchemist) e After Dark (Bleach). Além dos temas de anime, a banda tem muitos outros sucessos como Loop & Loop, Blue Train, Mirai no Kakera, Black out, entre outros. É uma banda que chama atenção pela simplicidade e pelo jeito manso e quando você vê, já está apaixonado. ♥

Untitled-1

Eu tenho um carinho muito grande pelo Ajikan por ser uma das primeiras bandas japonesas pela qual tive interesse. E quando soube do anúncio do show, a meses atrás, tive a certeza de que eu precisava ir a esse show de qualquer jeito. E em nenhum minuto, houve arrependimento.

O show aconteceu na casa de show Carioca Club em Pinheiros, uma apresentação aconchegante, arrepiante, emocionante. Um dos shows mais incríveis de que já fui. A casa era pequena e não estava completamente lotada. Então deu pra curtir o show de pertinho e super a vontade. O público, já na faixa dos 20-30 anos, era um público maduro, animado, e ansioso pelo show de uma banda que eles já amam a anos, assim como eu.

O clima era extremamente agradável. Até a banda, totalmente introvertida, até teve seus momentos de interação com o público. Gotch, o vocalista, disse que conseguia sentir do palco o quanto estávamos eufóricos. E acho que isso os deixou mais a vontade num país totalmente novo para eles.

ajikan
Um show inesquecível. Uma noite maravilhosa.

X Membro da Equipe

Matérias de Ex integrantes da Equipe Aficcionada que hoje não estão mais conosco, que sempre serão lembrados pelo seu grande trabalho.

Você Pode Gostar

  • Que sonho!!! Amei Beca!

    • Rebeca Romano

      Foi ótimo! Espero visitar a Liberdade novamente com a equipe! *-*

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: