Critica: “Thor – Ragnarok”

Quem disse que o filme precisa ser sério para ser bom?

Sinopse oficial:

Em “Thor – Ragnarok”, da Marvel Studios, Thor está aprisionado do outro lado do universo sem seu poderoso martelo e precisa correr contra o tempo e para evitar o Ragnarok — a destruição de sua terra natal e o fim da civilização de Asgard pelas mãos de uma nova e poderosa ameaça, a impiedosa Hela. Mas antes, ele deve sobreviver a um duelo mortal numa arena de gladiadores, onde seu adversário é um antigo aliado e colega Vingador – o Incrível Hulk! “Thor – Ragnarok” tem direção de Taika Waititi e o retorno de Chris Hemsworth estrelando como Thor e Tom Hiddleston reprisando seu papel como Loki. Junto com eles estão Cate Blanchett, Idris Elba, Jeff Goldblum, Tessa Thompson e Karl Urban, com Mark Ruffalo e Anthony Hopkins. Kevin Feige está na produção com Louis D’Esposito, Victoria Alonso, Brad Winderbaum, Thomas M. Hammel e Stan Lee trabalhando na produção executiva. A história é de Craig Kyle & Christopher Yost e Eric Pearson, e o roteiro é de Eric Pearson.

Minha Opinião:

Thor precisa com urgência impedir o Ragnarok e, nesse meio tempo, consertar as burradas de Loki, encontrar Odin, dar um jeito em Hela e ainda por cima ser amigo de Hulk e ajudá-lo em sua crise existencial.

Se o filme cumpriu tudo que vinha dizendo? Sim, Disney entregou exatamente isso, mas confesso que vi algumas caras tortas no cinema para a tal mudança. Muitos não gostaram do teor de comédia imposta no longa. Se no um e dois Thor tinha situações sérias e ajeitava tudo com um toque de drama e pequenos e sutis toque de humor, nesse a situação está escrachada, tudo é uma alegria só. Tudo se resolve de forma engraçada e com muita quebra quebra.

Thor veio com outra proposta. É leve, nem um pouco cansativo, jogando em terra toda urgência e seriedade que o quadrinho Thor Ragnarok propôs. Aquele drama todo e sanguinolência passam longe desse filme. Vemos um herói preocupado com o que vai acontecer com o seu povo, mas não ao ponto de arrancar os cabelos da cabeça. As coisas vão fluindo e isso foi gostoso de assistir, não se tinha aquela tensão que nos faz sofrer pela vida do personagem, mas consegui absorver isso por ele ser um Deus e imortal, ou seja, se não posso morrer, porque vou levar a vida tão a sério?

E quando alguém me pergunta o que achei desse filme o sorriso no rosto é impossível de se controlar, porque, para mim, o filme funcionou. Se trata de gosto gente!

Os atores estão ótimos, mas devo destacar aqui o próprio Chris Hemsworth que parece mega a vontade com o seu papel mais cômico, Mark Ruffalo, que faz um Hulk que chutou o pau da barraca e não está nem aí para ninguém, e Kate Blanchard, que faz uma vilã mega caricata.

Também quero ressaltar o figurino e cores do filme, um colorido bonito, umas roupas exageradas de herói bem oitentista que funcionou muito bem na tela.

Stan Lee como sempre abrilhantou com sua participação. Se você não viu “Thor – Ragnarok”, não sabe o que está perdendo!

Elenco: Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Cate Blanchett, Idris Elba, Jeff Goldblum, Tessa Thompson, Karl Urban with Mark Ruffalo e Anthony Hopkins

Direção: Taika Waititi

Produção: Kevin Feige

Produção Executiva: Louis D’Esposito, Victoria Alonso, Brad Winderbaum, Thomas M. Hammel, Stan Lee

História: Craig Kyle & Christopher Yost e Eric Pearson

Roteiro: Eric Pearson

 

 

 

 

Ara Robert

Sou viciada em leitura, games, RPG, séries, filmes, gatos, nas minhas filhas e maridão. Meus melhores amigos são meu maridão, minhas filhotas e mami. Sou do tipo que quando ler se apega aos personagens e quando eles morrem eu choro, quando eles são horríveis fico com ódio.

Você Pode Gostar

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: