RPG 

Como criar a sua ficha de RPG!

Comece pelo nome
Pode parecer meio estranho iniciar assim uma ficha de RPG, mas acredite, comece pelo nome! Vou explicar o porque… Quando nossos pais escolhem nosso nome, eles costumam geralmente a escolher o nome antes do beber nascer, assim podem se organizar para tal e isso também funciona no RPG!

Uma coisa que poucos percebem é como nos acostumamos depois com os nomes dos personagens, um Orc bárbaro com nome de Lando não parece combinar de princípio, pois não estamos acostumados, mas ao longo que você compreende que aquele nome pertence a ele, você se acostuma, assim como na vida real pois se eu tenho vinte anos e meu nome é Jorge, ninguém vai achar compatível meu nome mudar para Gustavo, a não ser que a pessoa não lhe conheça.

Dependendo do sistema que você estiver jogando, pode ser que você esteja limitado a tipos de nome. Ex: Todos os elfos têm o nome finalizado com a letra “O” ou talvez todos os bárbaros não possam ter um nome acima de seis letras, neste caso você deverá escolher primeiro a sua raça, mas sempre trate de escolher rapidamente o seu nome.

Eu escolhi o nome para um personagem, ele se chamará Pedro.


Escolha a sua raça
A raça vem logo em seguida pois ela é muito importante. Como já disse, se o sistema não lhe obrigar (Ou talvez o mestre não encrencar) você tem a total liberdade de criar uma Orc com o nome de Maria ou talvez um Guerreiro elfo com nome de José.

Raças costumam ter bônus e desvantagens muito peculiares para a interpretação do personagem, então você terá que tomar cuidado com o que escolhe e nunca se esqueça, a interpretação é muito importante, pois não adianta você jogar com uma raça odiada por todos e que tem medo de fogo e você andar pelas ruas achando que ninguém lhe jogará pedras ou enfrentar colunas de fogo, mesmo que tenha uma ótima armadura para lhe proteger.

Pedro será uma raça simples, não terá vantagens nem desvantagens então ele será um simples humano. (Ah, isso tudo depende do sistema que esteja jogando, claro.)

Escolha a sua Classe
Dependendo de qual sistema esteja jogando, haverá MUITAS classes para você ter que decidir qual é a melhor para o seu personagem, mas não será necessário ler todas as classes (a menos que você queira) para escolher uma.

Primeiro, você tem que decidir que tipo de personagem você quer ser. As opções são: Combatente, especialista, arcano e suporte. Para mais informações sobre você pode olhar nossa outra publicação falando sobre os Três pilares do RPG.

Ao escolher um dos pilares você já lidou com a maioria das classes do livro e facilitando mais ainda a sua busca, mas ainda podem haver muitas classes para escolher (Quem jogava 3d&T Alfa sabe o tanto de classe que tem para escolher), então o que fazer? O que muitos não percebem, mas todas as classes possuem uma “Especialização secundaria”, por exemplo, um ladino pode ser tanto um especialista quando um combatente, ou o mago pode ser tanto combatente quanto suporte.

Esse sistema também pode ser feito uma terceira vez, mas é muito difícil você conseguir fazer isso em um jogo inicial e também não é aconselhável quando estiver mais forte, devido a perder força no seu primário e secundário para criar um tercenário.

Pedro será um Arqueiro combatente.

Como combater
Esta pode ser tanto a parte mais fácil quanto a parte mais difícil de criar uma ficha (Sim, até mesmo mais difícil que escolher o nome) porque além do equipamento, também levará em conta suas especializações (Dependendo do sistema que esteja jogando). Supondo que você escolheu ser um arqueiro, pode ser fácil escolher a arma, obviamente um arco e suas especializações serão focadas em melhorar seu desempenho no combate, mas talvez não seja tão simples caso você seja um mago. Magos tem que decidir muitas coisas. Usaram orbe, livro ou cajado? Magias Ofensivas ou defensivas? Elementais de ilusão ou de necromancia? Quais especializações pegar?

Todas essas perguntas são muito difíceis de se responder pois varia muito do que o jogador quer, então é impossível para mim, escritor, lhe dizer o que escolher então a única dica que lhe dou é.

Quando estiver montando a sua ficha e chegar nesta parte, guarde um tempo especial para decidir cada talento, magia, tipo de arma e estilo de combate, pois isso vai manter vivo você e seus amigos durante uma aventura.

Pedro por ser um arqueiro, ele escolheu um arco longo, mas se prevenindo caso tenha que lutar corpo a corpo, também possui uma espada curta.

Historia
A história é uma parte muito importante para o seu personagem, pois dependendo da idade ele, ele precisa de sim uma longa história. A história que você ira criar vai ajudar tanto a você quando a seu mestre, pois ele precisa saber o que você já viveu para talvez usar isso futuramente, tanto a favor quanto contra o seu personagem. Mesmo que você tenha apenas quinze anos, você terá uma história, afinal, você se tornou aventureiro. Ninguém se torna aventureiro sem motivo nem está em algum local específico sem motivo.

Criar a história é um ótimo exercício de criação, isso pode lhe servir para muitas outras coisas no futuro, talvez para escrever uma história, ou quem sabe contar uma mentira (Mentir é feio e errado, não façam isso).

Pedro, um jovem humano de vinte anos entrou para a escola de arqueiros aos dez anos após um ataque a carroça de sua família durante uma viagem e toda a sua família morta, Pedro ficou bem ferido, mas estava próximo a uma cidade e lá encontrou ajuda na escola de arqueiros. Hoje aos vinte, Pedro decidiu sair pelo mundo para poder ajudar viajantes pelas estradas e prender o máximo de bandidos possíveis para que assim possa “fazer sua família feliz”.

Conclusão: Quando se inicia uma nova aventura de RPG é sempre muito difícil iniciar uma ficha, mas com as dicas certas, você vai conseguir criar a ficha desejada e jogar sem nenhum problema.

Loki Kaenn

20 anos. Escritor amador e fanático por RPG, Cardgames e Boardgames. Alimentando o sonho de viver da literatura a cada dia

Você Pode Gostar

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: