Bienal do RJ 2017: Entrevistando Karen Alvares!

Ainda no pique da Bienal, após entrevistar Dana Guedes assim que consegui entrar no local do evento, a próxima missão era fazer o mesmo com outra autora da Editora Draco. Dei uma voltinha pelo Pavilhão Verde e depois retornei ao stand, porém estava MUITO cheio e a pessoa que eu procurava estava super ocupada com alguns leitores, dando autógrafos e afins.

Como não tinha mais nada o que fazer, passei longos quinze minutos do lado de fora esperando, mas quanto mais o tempo passava, mais pessoas chegavam e com isso, preferi deixar para uma próxima oportunidade – sem nem desconfiar de que ela não morava no RJ.

Decidi ir embora e enviei uma mensagem ao Boss explicando o ocorrido durante o caminho de volta pelos pavilhões e quando já estava prestes a sair do Rio Centro, recebi a resposta de que não teria outra oportunidade como aquela para entrevistar. Confesso que na hora bateu muita preguiça de voltar para o último pavilhão e tentar novamente falar com ela, então me joguei sentada num canto qualquer para descansar um pouco e só depois de quase meia hora tomei coragem para retornar.

Assim que cheguei – pela terceira vez – ao stand, dei a sorte de encontrar a queridíssima Karen Alvares logo na frente e sem ninguém perto! Aproveitei a chance e pedi então se poderia me ceder uma rápida entrevista para postar aqui no site e a resposta positiva foi imediata. Abaixo, vocês podem conferir o bate-papo e espero que gostem tanto quanto eu, pois foi feito com muito carinho.

Equipe Aficcionada: Como e quando você conheceu o gênero yaoi?
Karen Alvares: Eu conheci quando entrei na Draco. Na verdade, eu já conhecia, só não sabia o que era yaoi, porque sempre gostei de ver animes e mangás. Inclusive, eu tinha uns 13~14 anos quando comecei a ver Sakura Card Captors e sempre achei lindo o amor do Yukito e do Touya. Só que na época eu nem sabia o que era, mas aí quando entrei na Draco, conheci o gênero. Descobri que tinha um nome e tudo mais, então comecei a ler os livros que temos aqui, até que saiu a antologia do “Sem Preconceitos”, mandei o conto e depois o meu editor me pediu para escrever.

Equipe Aficcionada: E qual é a sua opinião sobre o gênero? Já que conheceu depois que entrou na editora, o que você acha? E qual é o subgênero favorito? Pretende escrever outros contos nesse meio também?
Karen Alvares: Sim, eu pretendo escrever, porque gostei muito, achei uma experiência fantástica escrever, foi muito divertido, foi gostoso de fazer. Eu gosto muito das histórias e até agora só tenho visto boas histórias, e acho que o amor existe de todas as maneiras e jeitos. Então quando comecei a ler, achei histórias maravilhosas de romance e amor de qualquer jeito.

Equipe Aficcionada: Pretende escrever algum conto voltado só para o Dark lemon ou só o lemon, ao invés de ter toda aquela historinha cheia de amor e etc?
Karen Alvares: É, eu já escrevi. O Meia-Noite Sem Estrelas tem muito lemon.
Equipe Aficcionada: Tenho o livro, mas ainda não tive a oportunidade de ler.
Karen Alvares: Ele tem sim. Quando o meu editor pediu uma história de yaoi, ele falou assim “Tem que ter muito lemon”, aí eu falei “Opa! É nós, então!”. Eu acho legal o dark lemon também, acho interessante, mas ainda não tenho nenhuma história.

Equipe Aficcionada: Não sei se já leu algum mangá fora os contos da Editora Draco, mas caso sim, qual foi o que você mais gostou de acompanhar?
Karen Alvares: Mangás, não leio tantos quanto deveria, leio mais livros. Então vou citar mesmo Sakura Card Captors, porque é o amor da minha vida e eu adoro tudo na história, especialmente Touya e Yukito.
Equipe Aficcionada: Então do gênero yaoi mesmo, você não tem nenhum para citar o nome?
Karen Alvares: Não, não.

Equipe Aficcionada: E anime, você já viu algum desse gênero? Tem algum que gostou de acompanhar?
Karen Alvares: Hmm, eu vejo mais shoujo mesmo.
Equipe Aficcionada: Então a sua primeira experiência com yaoi mesmo foi quando escreveu?
Karen Alvares: Foi lendo light novels e depois escrevendo.

Equipe Aficcionada: Então você pretende continuar com uma próxima edição de Boys Love?
Karen Alvares: Sim, com certeza. Se eu puder fazer outro light novel ou estar em outra antologia, com certeza!

Equipe Aficcionada: Tá certo. Obrigada por ter cedido um tempinho para a entrevista. Sucesso, e que você continue caminhando nesse gênero que infelizmente ainda tem muito preconceito envolvido.
Karen Alvares: Sim, isso é muito triste. Às vezes até quando a gente vai oferecer o livro, a gente vê umas pessoas que ficam meio assim.
Equipe Aficcionada: Eu pretendo continuar acompanhando. Numa próxima oportunidade, se retornar aqui no RJ, que possa nos ceder outra entrevista e dar mais autógrafos nos livros.
Karen Alvares: Com certeza.
Equipe Aficcionada: E obrigada novamente pelo seu tempo.
Karen Alvares: Obrigada!

Além da light novel Boys Love: Meia-Noite Sem Estrelas e a coletânea Boys Love: Sem Preconceitos, Sem Limites – sendo dona do sexto conto do livro – Karen também é responsável por vários outros títulos fora desse gênero. Alguns deles são: Inverso, Reverso, Jornada Para Far Lands e Alameda dos Pesadelos – todos pela Editora Draco.

 

Gostou da matéria? Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe com os amigos!

Bye bye, minna! E até a próxima. ;*

Nikkie Vanzo

Gateira assumida, 26 anos. Otaku de berço e fujoshi desde os 17 anos. Apaixonada por animes, mangás e J-Music, frequentadora assídua de eventos. Ama RPG, dormir, rabiscar, dormir, ficar no pc, dormir, chocolate, dormir e… Dormir? Carioca da gema e louca para cursar fotografia, além de ter o sonho de trabalhar numa editora.

Você Pode Gostar

  • Amo demais essa mulher, adorei a entrevista!

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: