Resenha “A Piramide Vermelha”, de Rick Riordan

piramide-vermelha-faixa

RESENHA A PIRAMIDE VERMELHA

Mitologia é realmente o forte de Rick Riordan, não importa em qual panteão ele escolha, ele manda bem em todos, por isso sou fã desse cara.

Vamos conhecer um pouco mais deste universo, onde os Deuses tem cara de bichos e hábitos muito estranhos.

carter2

1º Enredo:
Dois irmãos separados pela morte da mãe. Ela vive no conforto da casa dos avós. Ele vive correndo o mundo com o pai arqueólogo. Vidas tão diferentes que são unidas por uma tragédia.

Neste primeiro Livros da Trilogia, somos apresentados a um universo totalmente diferente, onde dois adolescentes são obrigados a se virarem para salvar o pai que foi levado por um Deus Egípcio.  A descoberta do retorno dos Deuses, seria “boa”, se não fosse a ameaça de um Deus Maligno que pretende acabar com a humanidade, trazendo o Caos a Terra!

module_300_char_sadie

2º Narrativa:
As Crônicas de Kane é contato sob a duas visões diferentes. Carter Kane e sua irmã Sandie Kane deixam relatos de suas aventuras gravadas em um pequeno gravador e entregues a um repórter que documenta toda a história de vida dessa dupla.

Um fator muito interessante é que como o livro tem um ar de documentário, existem momentos de discursão entre os irmãos em que eles decidem quem vai narrar aquele momento da história.

set

3º Destaque:
Um dos personagens mais interessantes da história é a Bastet, a “Gatinha” protetora dos Kane. De longe o personagem mais carismático, mas não vou revelar muita coisa pra não estragar a surpresa.

Há um momento no livro, que é feita uma referência muito clara a saga de Percy Jackson. Isso nos dá margem para imaginar com seria uma crossover destes dois mundos. Já imaginou que maneiro?

Outra coisa que vale ressaltar, é a forma como somos introduzidos a essa cultura tão rica. O autor nos dá pequenas aulas sobre os Deuses encontrados e as formas de interpretar os hieróglifos egípcios, além de uma boa noção de história antiga. Ou seja, diversão com instrução.

Lógico que há a deturpação necessária para o andamento da história, mas é uma excelente forma de iniciar o conhecimento por essa mitologia pouco conhecida.

imagem-bast

SINOPSE:
Desde a morte da mãe, seis anos atrás, Carter Kane viaja o mundo com o pai, o egiptólogo Dr. Julius Kane. Ele não frequenta a escola e seus pertences cabem em uma única mala. Enquanto isso, Sadie, sua irmã mais nova, é criada pelos avós em Londres. Ela tem tudo o que Carter queria: casa, amigos e uma vida “normal”. E ele, o que ela mais deseja: conviver com o pai. Depois de tanto tempo separados, os irmãos não tinham praticamente mais nada em comum.

Até que na noite de Natal, em uma visita ao British Museum, o pai faz uma estranha promessa: tudo voltará a ser como antes. Mas seu plano dá errado, e os irmãos acabam assistindo ao momento em que um personagem misterioso desaparece com o egiptólogo e provoca uma explosão magnífica.

Para salvar o pai, os irmãos embarcam em uma perigosa jornada, na qual descobrem que os deuses do Egito Antigo foram despertados e algo terrível está para acontecer – e que tudo isso está relacionado com uma ligação ancestral entre os Kane e a Casa da Vida, ordem secreta que existe desde a época dos faraós.

Primeiro volume da série As crônicas dos KaneA pirâmide vermelha leva aos leitores a aventura, o mistério e o irresistível humor já característicos dos livros de Rick Riordan, autor da bem-sucedida série Percy Jackson e os olimpianos. Os capítulos narrados ora por Carter, ora por Sadie, dão à história o tom ao mesmo tempo engraçado e comovente da rivalidade e das provocações entre os irmãos, que mal se conhecem no início da saga, mas, quem sabe, ainda serão grandes companheiros.

a-piramide-vermelha

 

Book Trailer:

 

FICHA TÉCNICA

  • Editora: Intrínseca
  • ISBN: 978-85-98078-97-7
  • Tradução: Débora Isidoro
  • Lançamento: 2010-11-26
  • Páginas: 448
  • Formato: 16 x 23 cm
  • Gênero: Não Ficção

 

 

Érico Robert

Sou apaixonado por Livros, RPG e Video Games. Minha Família é tudo pra mim, minha alma gêmea (Ara), foi quem me ensinou a gostar de ler e sou eternamente grato a ela. Sou dedicada as minhas filhas, mas adoro os poucos momento em que posso desfrutar de paz e sossego. Diversão é reunir a família e os amigos e cozinhar para eles, enquanto conversamos, assistimos alguns filmes ou batalhamos no RPG!

Você Pode Gostar

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: